ÚLTIMAS AÇÕES
recent

Comissão de Saúde discute sobre a atenção básica e rede de urgência e emergência



No fim da manhã desta terça-feira (11), a Comissão de Saúde recebeu representantes do Hospital Universitário de Santa Maria (HUSM), Unidade de Pronto Atendimento (UPA), 4ª Coordenadoria Regional de Saúde, Secretaria de Saúde e também a Comissão de Residência Médica.

De acordo com o presidente da comissão, Dr. Francisco Harrisson, o objetivo deste encontro foi dar início ao mapeamento com relação aos problemas vinculado à saúde pública do município, que necessitam ser analisados em conjunto para que o Parlamento possa tomar as medidas cabíveis e buscar uma possível solução.
A população de Santa Maria ultrapassa 250 mil habitantes. Destes, apenas 49.309 possuem Plano de Saúde e o número de usuários da Rede Básica de Saúde é superior a 300 mil pessoas.
Conforme dados da Organização Mundial de Saúde (OMS), é necessário de 3 a 5 leitos para cada 1000 habitantes, isto é, para Santa Maria, precisaria o equivalente a 832 leitos (SUS). Ao desconsiderar os 150 pacientes portadores de convênios, o número cairia para 632, entretanto, a realidade é diferente. O Hospital Universitário de Santa Maria (HUSM) conta com apenas 205 leitos disponíveis para atendimento e o número da Casa de Saúde é ainda menor. O hospital dispõe de apenas 61 leitos, dado que preocupa os vereadores.
A Rede de Urgência e Emergência também apresenta um cenário complexo. Conforme a vereadora Drª Cida Brizola, Santa Maria precisa de muitas adequações e os gestores de saúde precisam assumir responsabilidades. “Infelizmente precisamos nos organizar de maneira rápida e a porta de emergência tem que ser a primeira a passar por readequações”, colocou a edil que falou sobre falta de lugar adequado para enviar o paciente após os primeiros diagnósticos.
A secretária adjunta de Saúde, Liliane Duarte, salientou ainda que dos 240 médicos que o município necessitaria para conseguir atender a população de maneira eficaz, conta hoje somente com 60 profissionais e este número preocupa constantemente, principalmente o setor da pediatria, que possui apenas 4 médicos. Sobre esta última colocação, ficou acordada uma nova reunião para discussão exclusiva deste tema
O vereador Valdir Oliveira comentou a respeito da importância de compreender que a situação atual é complexa e que nesta causa há espaço para todos. “Nós precisamos começar a pensar juntos uma política de saúde para o município”, elucidou o parlamentar.
Por fim, o vereador Dr. Francisco Harrisson propôs que os presentes levassem a discussão para os colegas, pois não se pode deixar que as emergências se transformem em hospitais. “Precisamos trabalhar em uma lógica de resistência, proponho que no nosso próximo encontro, todos tragam situações e propostas para esta comissão”, disse Harrisson.
Estiveram presentes os vereadores, Manoel Badke, Dr. Francisco Harrison, Daniel Diniz, Drª Deili, Drª Cida Brizola e Valdir Oliveira.   

Texto: Gabriela Iensen
Foto: Fabiano Bohrer
Tecnologia do Blogger.